A Brasil Game Show já encerrou, mas não podíamos deixar de falar sobre um dos encontros mais inusitados que tivemos ao longo do evento: o apaixonado pela SEGA, Marcelo Hirata, que atualmente é designer com habilidades manuais em papercraft, além de ter criado, sozinho, um card game baseado no universo de Skies of Arcadia.


Designer da Flip Flop Lab, esta última é uma pequena empresa de São José do Rio Preto fundada em 2014 que atualmente conta com uma equipe de seis pessoas entre desenvolvedores e designers.

O objetivo é explorar o desenvolvimento de games mobile e fazer também jogos de tabuleiro, sendo este último de responsabilidade do Hirata. “Os jogos físicos são por minha conta” – diz.

Fã da SEGA desde criança, Hirata presenteou a nossa equipe da Tectoy com um diorama do Phantasy Star IV representando a icônica batalha entre a equipe contra uma das formas de Dark Force, um dos vilões do jogo.


Justamente essa paixão que o fez entrar na Flip Flop Lab, já que Hirata desenvolveu um jogo de cartas baseado no universo do RPG Skies of Arcadia, lançado originalmente para o Dreamcast, e com isso acabou conseguindo uma parceria com a empresa para desenvolver um jogo de cartas.


“O Card Game [de Skies of Arcadia] já tem três sets completos. Ele marcou muito a minha vida e a dos meus amigos e é diversão garantida, até porque o ‘grande lance’ do Skies of Arcadia são as batalhas aéreas, algo que muitos criticavam. Então o card game vem para provar que as batalhas aéreas podem ser divertidas”. 


Segundo ele, o card game de Skies of Arcadia conta com toda a nostalgia do jogo, mas ainda conta com inovações para que o ele ficasse ainda mais interessante. Seu sonho é que um dia a SEGA perceba o potencial do card game e distribua-o comercialmente.


“O card game é visualmente bonito, é colecionável e tem a marca da SEGA. É um prato cheio não só aos ‘fãs de carteirinha’, mas para qualquer pessoa’ “

Ainda falando da SEGA, outra habilidade que ele nos mostrou é com os papercrafts, tendo montagens do Sonic e do Tails. Essa habilidade é “derivada” de sua facilidade em fazer origamis (arte tradicional japonesa em fazer objetos complexos dobrando papéis), e ele explica que alguns ele mesmo desenvolve em programas 3D.


“O Sonic mesmo eu peguei da internet, já que a SEGA disponibiliza. O Tails, eu mesmo tive que desenvolver em um programa 3D e transportá-lo para o papel. Levei meses para entender como o processo funciona”. 


Na BGS, eles estavam lançando um game chamado Open Cases, que é um card game onde os jogadores assumem o papel de investigadores de um distrito policial e devem desvendar casos de assassinato ainda não solucionados.  Ele tem como diferencial ser um jogo “rápido”, onde é possível jogar várias partidas seguidas.


“[Open Cases] é um jogo dinâmico, divertido, não enjoa e pode ser jogado muitas vezes. É uma novidade para o pessoal e todos estão adorando” – diz Hirata.

Fonte: Blog Tectoy